Respiração e Gestação


A primeira necessidade vital do bebê, a cada segundo, é um sangue bem oxigenado. É através da respiração da mãe que o bebê recebe esse oxigênio. A partir dos primeiros dias de gestação, temos o aumento do volume sanguíneo (retenção de água e de sal), favorecendo assim as trocas entre a mãe e bebê. Ao aumentar de aproximadamente ¼ o volume de sangue no corpo, o coração da futura mamãe baterá mais forte e a respiração, que doravante deverá suprir a necessidade de dois seres, se torna mais curta e rápida.

Assim sendo, torna-se fundamental que durante a gestação a mulher grávida realize um trabalho corporal para ampliar e melhorar sua capacidade respiratória. Desse modo, além de promover bem estar para ela e seu bebê, a futura mamãe poderá evitar problemas como dores nas costas, dores ligamentares, diástase, problemas relacionados à derme e epiderme (como estrias, por exemplo), má circulação sanguínea, problemas renais, má digestão e problemas de trânsito intestinal.

O SENTIDO CORRETO DA RESPIRAÇÃO

Nós respiramos ao avesso quando inspiramos de forma voluntária. O natural e habitual não é necessariamente o fisiologicamente correto. Quando estamos em pé ou sentados, respiramos com o peito e, embora isso possa parecer natural, é exatamente o oposto da fisiologia respiratória, onde deve haver descida do diafragma na inspiração, fazendo com que o ventre relaxe e se expanda, e subida do diafragma na exalação, fazendo com que o abdômen se contraia.

Como respirar corretamente nas posturas de yoga e durante um esforço no dia a dia, alguns princípios:

Expiração

Ao expulsar o ar, em posição vertical (sentado ou em pé), devemos ter a sensação de que o bebê está subindo e em hipótese alguma descendo. Expirar significa crescer, se afinar, e não se curvar ( amontoando a vértebras, se encurtando) nem expandir o ventre.

A inspiração é passiva

Não deve haver nenhum esforço na inspiração, ao contrário, devemos somente relaxar o ventre e ela se fará sozinha, de forma automática.

Lutar contra a gravidade

Os outros mamíferos não sofrem de problemas respiratórios e nem de coluna pelo simples fato de que eles se apoiam em quatro patas. Nós, seres humanos, uma vez que nos posicionamos de pé, verticalmente, acrescentamos o obstáculo da gravidade. Portanto, faz-se necessário uma readaptação a fim de neutralizar a gravidade e limitar seus efeitos.

Para isso, devemos (re) introduzir o períneo no esquema respiratório. Durante a gravidez, para fortalecer e flexibilizar o períneo, devemos começar desde cedo esse trabalho de contração do períneo, fazendo-o subir juntamente com as orgãos e o diafragma. Cada vez que o ventre se contrai, ou seja, a cada esforço, no dia a dia inclusive, devemos ao exalar acionar a contração do períneo em primeiro lugar, de modo que a subida comece lá de baixo.

Porém, devemos lembrar que para respirar fisiologicamente é preciso, antes de mais nada, nos posicionar corretamente, corrigindo a postura, nos alongando.

É a respiração que dirá se a postura está correta: se a coluna está alongada, pouco importa a posição, a respiração será livre, abdominal, e podemos relaxar; se a coluna estiver curvada na flexão, ou se a lordose estiver acentuada na extensão, a respiração é torácica, ou seja, estamos em estado de tensão. Para que a respiração seja fisiológica, livre e abdominal, a coluna vertebral deve estar inteiramente alongada, do cóccix até a nuca, e isso em qualquer posição.

Para corrigir a postura, a base do trabalho corporal a ser feito durante a gestação, mas também durante toda a vida, é a báscula correta do quadril.

A referência pode ser universal em todas as posturas: a imagem de um esquadro (o ângulo entre o torso e as coxas deve ser inferior à 90°). Se o ângulo entre a coxa e o tronco é superior à 90 °, em qualquer posição , a respiração sempre será dificultada, pois sempre haverá risco de acentuarmos a lordose na extensão da coluna ou de nos curvarmos na flexão.

Oferecemos aulas de Yoga Embarazo e para o Postparto, baseados no método APOR, de Bernadette de Gascquet. Além disso, oferecemos talleres para que os professores de Yoga possam adaptar suas aulas de Yoga para o Embarazo e o Pós-parto.

* Sobre o método e horários das aulas

* Mas informação sobre as oficinas para professores de yoga, entre em contato


9 vistas0 comentarios